19 de outubro de 2011

O que seu bebê já pode fazer

Por mamãe Deia Musso às quarta-feira, outubro 19, 2011
Reações: 


Recebi e-mail interessante da Pampers Brasil, compartilhando:

Resumo do artigo

A maioria dos pais, principalmente os de primeira viagem, tem muitas dúvidas e preocupações em relação aos seus bebês. E isso é normal. Vocês logo obterão as respostas e a confiança que procuram para desempenhar esse novo papel. Para auxiliá-los, este site mostra as etapas de desenvolvimento dos bebês.
O que o seu bebê já pode fazer Por: Suzanne Dixon, Pediatra, mestre em saúde pública Qual a próxima etapa do desenvolvimento de seu filho? Descubra agora.



Recém-nascido 
A alegria da casa chegou e vocês são papais! Embora pareça indefeso, ele é mais forte do que vocês imaginam. De várias maneiras, o bebê ajudará os pais a identificarem o que ele necessita. No início, as principais necessidades são alimentação, sono e carinho. O leite materno é tudo o que ele precisa para atender suas necessidades de nutrição.
Como esta é uma experiência completamente nova e exige uma fase de adaptação, as primeiras semanas são as mais desgastantes para os pais, principalmente para a mãe. Este será um período de reconhecimento entre pais e bebê. Os recém-nascidos ainda não brincam, mas certamente se divertem conhecendo o mundo através do tato e da audição. Converse com o bebê. Ele conhece sua voz desde o útero. Por isso, ouvir a voz dos pais o tranqüiliza. A visão do bebê ainda não está bem nítida, seus olhinhos só conseguem enxergar um objeto que esteja entre 30 a 50 centímetros de distância, ou seja, mais ou menos a distância entre o braço e rosto. Olhe para ele bem de perto enquanto o segura, afaga, conversa ou canta e ele a observará.
É bom saber que: as primeiras semanas são muito importantes. Por isso, dedique todo o tempo possível para cuidar do bebê e de você também. No final da terceira semana, é possível sentir uma melhor interação com o bebê.



Geralmente, as mamães estão muito cansadas para perceber o quanto elas e seus bebês aprenderam, cresceram e mudaram. No final da terceira semana, é bem provável que a rotina já tenha sido desenvolvida e certamente a mãe saberá o que o bebê precisa. Este pode ser um período difícil para a família, pois as necessidades de um bebê de 3 semanas parecem intermináveis. Nessa fase, a maioria dos pais de primeira viagem está exausta e pensa se algum dia terá novamente momentos de paz. Não se preocupe. Tudo entrará nos eixos e ficará muito mais fácil.
Assim como os adultos, os bebês também têm temperamentos distintos. Alguns estabelecem horários de alimentação e sono bem diferentes de outros bebês da mesma idade. Nessa fase, é melhor que os pais se adaptem ao ritmo dele, principalmente porque é necessário alimentá-lo muitas vezes durante as 24 horas.
No final da terceira semana, provavelmente o bebê será capaz de:
  • ter estabelecido um horário mais regular de sono e alimentação. Nesta fase, é mais fácil identificar as necessidades e cuidar do bebê
  • ficar acordado por mais tempo, por uma hora ou mais. Depois da refeição ou do banho, você notará que ele observa seu rosto. Ouvir sua voz o acalma
  • emitir alguns sons para mostrar o quanto fica feliz quando você conversa com ele. Esses sons rudimentares são o início da linguagem. Nunca se esqueça de conversar um pouquinho com ele
  • no final do dia, pode ser que seu bebê esteja um pouco mais agitado. Acredite ou não, esse comportamento significa progresso. À medida que o sistema nervoso dele amadurece, o mundo à sua volta fica mais interessante e é possível que ele não queira ficar fora de toda essa agitação
  • ter mais controle da cabeça. Não parece tão frágil como antes, mas ainda precisa de apoio
  • ter mais força na parte superior do corpo. Consegue levantar a cabeça quando colocado de bruços
  • observar as próprias mãos se mexendo à sua frente. Embora não tenha muito domínio sobre elas, controla muito bem os olhos, observando objetos a sua volta
  • dormir de três a quatro horas seguidas. Se dormir muito mais do que esse intervalo, talvez seja necessário despertar o bebê para alimentá-lo.

É bom saber que: o maior prazer para os pais acontece quando o bebê começa a sorrir e a balbuciar. É como se quisesse mostrar o quanto se sente amado e querido.



Ao final dos dois meses, cada dia é uma nova descoberta. Nesta fase, os hábitos de sono e de alimentação se estabelecem. A agitação e o choro tendem a aumentar no final do dia, o que pode ser ainda mais estressante se a mãe estiver muito cansada. Sempre que você se sentir sobrecarregada, peça ajuda ao seu companheiro ou a uma pessoa de confiança.
A cor dos olhos do bebê começa a se definir. Fica mais gordinho, com papinho ou dobrinhas nas coxas, o que significa que ele está saudável e bem alimentado. Provavelmente será capaz de:
  • balbuciar, principalmente quando conversam com ele;
  • sorrir mais vezes ao dia;
  • ficar mais calmo na presença dos pais;
  • observar tudo com muito interesse, especialmente antes e depois das refeições;
  • controlar melhor a cabeça, mas ainda com apoio;
  • gostar de ser apoiado nos ombros dos pais ou segurado com as mãos sob seus braços;
  • sustentar a cabeça e levantar os braços quando colocado de bruços;
  • sem querer, consegue rolar e ficar de barriga para cima;
  • sustentar por mais tempo a cabeça nivelada e manter as mãozinhas abertas;
  • Explorar as mãos.

É bom saber que: conforme o bebê supera suas dificuldades comuns, interage cada vez mais com o mundo a sua volta: sorri, conversa e festeja quando vê os pais. Em breve, terá mais força nos braços para levantar e observar o mundo à sua volta.



No quarto mês, emite sons alegres típicos de um bebê. Sorri para tudo que o rodeia, interage e aprende cada vez mais. Agora é hora de brincar! Ele descobre e explora as mãozinhas, mas a brincadeira favorita ainda continua sendo você.
No final do quarto mês, provavelmente o bebê será capaz de:
  • sustentar a cabeça quando segurado por debaixo dos braços ou pelas mãos, ou quando colocado sentado;
  • observar e seguir com os olhos o que acontece ao seu redor;
  • chorar, deixar cair algum objeto ou até mesmo fingir tossir para chamar atenção;
  • bater objetos sobre alguma superfície, tentar apanhá-los, chacoalhar ou levá-los à boca. A queda acidental de um objeto é um acontecimento surpreendente para o bebê;
  • descobrir suas mãozinhas, batendo, tocando ou apenas observando-as;
  • babar bastante, molhando os brinquedos e até mesmo você. No entanto, não é provável que isso seja a indicação do nascimento do primeiro dente;
  • reconhecer a voz da mãe e se acalmar;
  • dormir sozinho caso já tenha sido estabelecida uma rotina de sono; ou com um brinquedo ou cobertorzinho para tranqüilizá-lo.

É bom saber que: perto dos 6 meses, o desenvolvimento físico, emocional e cognitivo do bebê ocorre rapidamente. Acompanhar essas mudanças garante sua saúde e felicidade.



O desenvolvimento dos bebês aos seis meses é acelerado. Nesta fase, senta sem ajuda e mantém a cabeça nivelada. Esta é uma nova etapa de descobertas para o bebê. É muito gratificante! Como ?explorador número 1 do mundo?, sua ferramenta preferida é a boca. Conseguir passar um brinquedo de uma mão para outra é uma nova habilidade que o ajuda a aprender mais sobre o ambiente ao seu redor.
No final dos seis meses, provavelmente o bebê será capaz de:
  • sorrir, rir alto e dar gritinhos;
  • testar a mãe. Propositalmente, deixa cair, joga objetos no chão e faz barulho para chamar atenção;
  • dormir sozinho caso já tenha sido estabelecida uma rotina de sono; ou com um brinquedo ou cobertorzinho para tranqüilizá-lo.
  • sentar sozinho ou com algum apoio. Tentar ficar de pé, apoiando-se em algum móvel;
  • passar objetos de uma mão para a outra;
  • colocar quase tudo na boca;
  • balbuciar e combinar consoantes com vogais, como "ba", "pá", "dá";
  • nascem os primeiros dentinhos;
  • voltar-se para o lugar de onde provém uma voz;
  • acalmar-se sozinho;
  • rolar para os dois lados;
  • estranhar pessoas.

É bom saber que: antes que você se dê conta, o bebê descobre como se deslocar. Após a descoberta, essa será sua nova obsessão. Para os pais, este é o momento de adotar certas medidas de segurança. Na introdução dos alimentos sólidos o bebê pode engasgar. É bom a mãe estar atenta.



Aos nove meses o bebê está totalmente ativo. Explora, investiga e experimenta. A brincadeira preferida é o ?esconde-esconde?. Agora, ele lembra dos objetos que não estão a sua frente. Como resultado, essa curiosidade e capacidade de raciocínio podem causar problemas para obebê. Os pais ou as pessoas que cuidam dele devem estar sempre atentos, tanto para proteger quanto para reafirmar que o amam. Nessa idade, é possível notar a personalidade do bebê. Se é calmo ou agitado ou, ainda, como age quando contrariado.
No final dos nove meses, provavelmente o bebê será capaz de:
  • sentar sem apoio, virando o corpo para os lados sem cair. Brincar com objetos enquanto está sentado;
  • deslocar-se, arrastando-se ou engatinhando. Alguns bebês nem chegam a engatinhar; mesmo assim, movimentam-se de alguma forma;
  • tentar ficar de pé e se equilibrar segurando em algum móvel. Em breve, ele aprenderá como cair sentado;
  • pegar objetos pequenos com o polegar e o indicador. Com certeza, tentará pegar tudo o que encontrar pela frente, mesmo objetos minúsculos;
  • enfiar o dedo indicador em interruptores, botões e tomadas;
  • querer a presença da mãe, e verificar freqüentemente sua presença enquanto brinca. Geralmente, o bebê fica mais agitado quando a mãe não está por perto. Pode ser que estranhe as pessoas, mesmo as conhecidas, e comece a chorar. Essa reação é perfeitamente normal. O bebê identifica bem quem é a sua família, as pessoas que cuidam dele ou mesmo as desconhecidas;
  • balbuciar como forma de linguagem. Pode falar "mama" e "papa" de vez em quando. Retribuir com um sorriso é a maneira como ele identifica que essas palavras são especiais;
  • saber o próprio nome. Reconhecer algumas palavras e mostrar muito interesse pelas pessoas que conversam com ele. Tudo isso indica o aprendizado de uma nova linguagem;
  • apresentar os primeiros dentes, geralmente os incisivos inferiores e superiores;
  • acordar à noite e demorar para dormir novamente. Isso acontece porque o bebê sente falta das pessoas e das experiências vivenciadas no decorrer do dia;
  • preferir ficar no chão a ficar no colo, para que possa explorar tudo ao seu redor;
  • fazer bagunça com a comida durante a refeição. Nesta fase os bebês gostam de pegar a comida com as mãos e segurar sozinhos um copo ou a mamadeira. Apresentam melhor coordenação motora nas pontas do polegar e do indicador;
  • fazer barulho e bagunça jogando, batendo, chacoalhando e quebrando brinquedos. Se tiver alguém por perto para pegar os objetos, será mais divertido ainda!
É bom saber que: as brincadeiras evoluem no decorrer dos meses, conforme o bebê aprende novas habilidades. Nesta fase, ele está em plena atividade e talvez até fale uma palavra ?inteligível?. Apresenta sempre uma novidade, mostra seu temperamento, reagindo conforme a situação.

Photobucket

5 comentários:

Angel disse...

oi Deinha...

Amei o post, mas na verdade gostaria de compartilhar contigo coisas sobre a rotina do Lilo, uma vez que ele e a Luíza tem idades muito próximas...apenas alguns dias de diferença...
Acho que vou te mandar um email...bjs...

Fernanda Aguiar disse...

Oiee! Amei o post! Sempre acompanho o mês a mês da Gabi e descobri que no site da Baby Center tem um semana a semana. Muito legal! Eles crescem muuuito rápido. A Gabi já está com 4 meses! Bjoo

Blog: www.parasempregabriela.com

Alessandra Marques disse...

Olááááá quanto tempo não apareço né? Passando pra deixar um beijo!

Ursula Andress disse...

amigax, obrigada e volte mesmo!

Rose Ramos disse...

Oi titia Deínha, aíi que saudades de vc, sabe aquela vontade de dar um abraço bem forte na pessoa que não se vê a tempos...então é este abraço que gostaria de lhe dar.

Postagem ótima, cada dia aprendo mais contigo, pode criar um blog (apreendendo com Déinha)

Bjos Nossos...

Postar um comentário

 

Bercinho encantado Template by Ipietoon Blogger Template | Gift Idea